Novo ConceitoResenhas

Resenha: Adeus á Inocência – Drusilla Campbell

9788581632766 grande

alert1

9788581632766.jpg.170x230_q85_crop

Titulo: Adeus á Inocência  

Autora: Drusilla Campbell    

Editora: Novo Conceito

Nº de Páginas: 272

Ano de Lançamento: 2013

2

Sinopse: Madora tinha 17 anos quando Willis a “;resgatou”;. Distante da família e dos amigos, eles fugiram juntos e, por cinco anos, viveram sozinhos, em quase total isolamento, no meio do deserto da Califórnia. Até que ele sequestrou e aprisionou uma adolescente, não muito diferente do que Madora mesmo era, há alguns anos… Então, quando todas as crenças e esperanças de Madora pareciam sem sentido — e o pavor de estar vivendo ao lado de um maníaco começava a fazê-la acordar —, Django, um garoto solitário, que não tinha mais nada a perder depois da morte trágica de seus pais, entrou em sua vida para trazê-la de volta à realidade. Quem sabe, juntos, Django, Madora e seu cachorro Foo consigam vislumbrar alguma cor por trás do vasto deserto que ajudou a apagar suas vidas?

RESENHA_

Quando peguei esse livro pra ler, eu não dava muita coisa por ele. Nem pela sinopse achei que fosse uma leitura com grandes surpresas. Mas para minha própria surpresa eu gostei dele. Não gostei muito da capa, achei meio sem graça. Só que lendo o livro deu perfeitamente pra entender o sentido dela.

O livro conta sobre a vida da jovem Madora, que tem sua vida posta de cabeça pra baixo ainda com 12 anos. Cinco anos depois ela conhece o Willis, ele meio que a “resgatou”. Apesar de que achei que não foi muito bem isso. Ela é apaixonada e capaz de fazer qualquer coisa pelo Willis, isso me irritou em algumas partes e me dava vontade de dizer (acorda Madora não é bem assim as coisas não). E ela acaba indo viver com ele.

Por outro lado temos o Django, um jovem que tinha uma vida muito boa. Até que perdeu os pais e sua vida também vira de cabeça para baixo. Ele acaba conhecendo Willis e por consequencia a própria Madora.

 

“- Eu não conseguiria progredir sem você, 
Madora. Você sabe disso, não? Você
é como o ar que respiro.” pág. 46

O personagem que mais gostei foi mesmo o Django, um jovem que apesar de tudo é forte e só o fato dele não gostar do Willis já me fez gostar dele. Eu não gostei do Willis, achei violento, manipulador, mentiroso. A Madora algumas partes achei um simples fantoche nas mãos do Willis, e isso como falei antes me irritou muito. Ela tem uma personalidade calma, chegando até ser meio desligada do mundo. A vida dela é praticamente só o Willis, ela vivi pra ele e faz tudo que ele quer, mesmo ele não lhe dando o melhor dos tratamentos em algumas partes.

“Tudo o que Madora sabia do mundo era o que ela vira de detrás de Willis, na ponta dos pés, olhando por cima do ombro dele.”

embusca1

 

A estória é contada em 3º pessoa, sendo intercalada entre a vida de cada personagem, e eles vão entre o presente e o passado. Isso ajuda entender algumas coisas e deixar outras confusas (infelizmente). A leitura é rápida, os capítulos não são longos, com fonte média, páginas amareladas isso facilita pra ler. Tem algumas partes de suspense, que te faz ler mais rápido pra saber o que vai acontecer.

Eu gostei do final, não é aquele tipo de livro que te deixa (ai meu Deus o que aconteceu com eles?). Não vou contar aqui claro, porque isso seria um spoilers enorme. Então fiquem curiosos, só adianto que gostei de como a autora encaixou tudo. Os personagens são bem criados, tudo bem explicado. Apesar do livro ser curtinho a autora conseguiu contar tudo nele. Esse foi o primeiro livro que li dela e não me decepcionei.

20131117_165823

Me fez pensar em como a vida é boa com alguns e em um piscar de olhos ela pode mudar completamente e nada do que você tinha certeza realmente é. Indico pra quem gosta de algo rápido, de leitura leve. Com pessoas que sofrem, mas que sabem seguir em frente apesar de tudo.

Um livro que mereceu dois livrinhos na classificação, não por ser ruim, nem fraco. Mas por ser bom, acho que não foi um livro que mudou minha vida. Me fez pensar em algumas coisas sim. E bom pra mim é basicamente isso (não me joguem pedras rsrs) eu gostei sim. Só ando meio chata pra classificar mesmo (ignorem). 

Posso dizer que quando peguei o livro achei que era um tipo de leitura e ao terminar para minha satisfação foi outro tipo. Eu jurava que não ia gostar do livro.

Beijos para todos.

Fiquem bem. 

jaira_assinatura

Jaira Costa

Jaira Costa

Apaixonada por livros, ama música, chocólatra, viciada em séries. Calada, hiperativa, sincera, cheia de idéias na cabeça e com pouco tempo pra colocar elas no papel. Publicitária, futura escritora (escrevendo pra chegar ser uma de verdade). O resto você descobre aqui no blog.

Post anterior

Resenha: A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista - Jennifer E. Smith

Próximo post

Top Comentarista de Dezembro

9 Comments

  1. novembro 25, 2013 at 6:50 pm — Responder

    Olá Jaira!! Tudo bem??

    Estou louca por esse livro, mas ainda não pude compra-lo =/ Fiquei super animada pela sua resenha. Eu curti a história dele, acho que tem tudo para me agradar.Espero poder ler em breve!!

  2. novembro 25, 2013 at 10:32 pm — Responder

    esse livro eu gostei da capa, assim que li a sinopse também me animei pra ler, ganhei ele da minha mãe e agora depois da sua resenha vou passar ele na frente na minha lista de leitura, parece ser uma história boa.

    bjiss

  3. novembro 26, 2013 at 11:45 am — Responder

    Ei, gostei da resenha.
    Eu curti o livro amiga, mas sou suspeita né. Adoro essa tortura psicológica nos livros.
    Você não anda chata nas opiniões, ser exigente é legal também. Eu que sou bobona e gosto de quase tudo, kkkkkkkkkkkk.

    Bjkas

    Lelê Tapias
    http://topensandoemler.blogspot.com.br/

  4. novembro 27, 2013 at 12:47 am — Responder

    Olá Jaira 🙂
    Já tinha ouvido falar desse livro, mas realmente nunca me interessei muito na leitura.
    Sua resenha me desinteressou mais ainda no livro, rs.
    Ótima resenha 🙂
    Beijos,
    Ana M.
    http://addictiononbooks.blogspot.com.br/

  5. novembro 27, 2013 at 10:41 am — Responder

    Estou terminando de ler ele e gostando também. Gosto de ler histórias com gente louca, e este Willis é muito maluco.

  6. novembro 27, 2013 at 6:15 pm — Responder

    A trama não me interessou.
    Não gostei muito da Madora, como você disse ela parece ser um fantoche do Willis.
    Normalmente gosto quando a narrativa é intercalada entre os personagens e entre o passado e o futuro. Acho que deixa a leitura mais dinâmica. Porém, parece que no caso desse livro, deixou a leitura mais confusa também… que pena.

  7. novembro 27, 2013 at 6:58 pm — Responder

    Esse livro já tinha me interessado pelo título, mas ainda não tinha lido nada sobre ele. Mas agora sua resenha me desanimou um pouco, eu gosto de ler livros que quando eu acabo eu fico pensando nele bastante tempo, e parece que esse não é assim :/

  8. novembro 30, 2013 at 1:54 am — Responder

    Ao ver sua classificação já estava pensando “mas como assim? Tava achando que esse livro era tudo e é só isso? Dois livrinhos? É isso que ele merece?” rsrsrs Agora com sua explicação no final eu entendi o porquê dos dois livrinhos. Gostei do livro e não sei bem explicar por que. A capa não é muito bonita e a sinopse não me cativou, mas foi uma resenha que li a um mês atrás (eu acho) que me fez mudar de ideia. Agora quero ler, principalmente para conhecer o Django *-* A protagonista é um pouco irritante não é? Mas acho que mesmo assim irei gostar da história.

  9. novembro 30, 2013 at 12:44 pm — Responder

    Eu não tinha me interessado nem um pouco por esse livro ‘-‘ Ler sua resenha me deixou um pouquinho mais esperançosa quanto a ele. Não está nas prioridades, mas entrou pra lista de desejados.

em resposta a:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *