Novo ConceitoResenhas

Resenha: As Violetas de Março – Sarah Jio

BeFunky_9788581632223.jpg

alertAS_VIOLETAS_DE_MARCO_1359500863Pequena

Título: As Violetas de Março

Autora: Sarah Jio

Editora: Novo Conceito

Ano de lançamento: 2013

N° de páginas: 304

Sinopse: Emily Taylor é uma mulher jovem e escritora de sucesso, mas não gosta muito de seu próprio livro. Também tem um casamento que parece ideal, no entanto ele acabará em divórcio.Sentindo que sua vida perdeu o propósito, Emily decide fazer as malas e passar um tempo em Bainbridge — a ilha onde morou quando menina — para tentar se reorganizar.

Enquanto busca esquecer o ex-marido e, ao mesmo tempo, arrumar material para um novo — e mais verdadeiro — livro, um antigo colega de escola e o namorado proibido da adolescência tornam-se seus companheiros frequentes. Entretanto, o melhor parceiro de Emily será um diário da década de 1940, encontrado no fundo de uma gaveta.

Com o diário em mãos, Emily sentirá o estranhamento e a comoção causados pela leitura de uma biografia misteriosa que envolve antigos habitantes da ilha e que tem muito a ver com sua própria história.

Assim como as violetas que desabrocham fora de estação para mostrar que tudo é possível, a vida de Emily Taylor poderá tomar um rumo improvável e cheio de possibilidades.

RESENHA_

Emily Taylor é uma escritora que publicou um livro que fez muito sucesso, mas depois do lançamento dele não conseguiu mais escrever nada. Vários anos se passaram desde a publicação da obra. Durante um café da manhã o marido dela lhe conta que esta saindo de casa para ficar com outra mulher. Incrivelmente o mundo de Emily não desaba, para ela é como se aquilo fosse uma coisa normal e percebendo a reação de Emily sua amiga Annabelle acha melhor que ela se afaste da cidade, Nova Iorque, por um tempo, Emily aceita a decisão da amiga e resolve passar um mês na casa da sua tia Bee, em uma ilha próxima a Seattle.

 Quando Emily chega sua tia a põe em um quarto diferente do habitual, mas ela não da muita importância a esse fato, até que, quando abre uma gaveta, encontra um diário e esse diário vai mudar bastante a vida dela.

 As violetas de março é um livro comovente. Emily é uma personagem um pouco vazia, eu não sei se essa foi a intenção da autora, mas foi isso que eu senti, ela sem um motivo aparente se tornou um ser vazio que precisava ser completado, ela não sabia como fazer isso e nem sabia que precisava disso, ela apenas ia vivendo um dia de cada vez, até que encontra o diário e percebe o que faltava para ela ser completa.

Uma das partes que eu adorei é a história do diário, tem uma dose de amor e sofrimento perfeita, eu senti vontade de viver uma história como aquela, ver um amor tão intenso é o tipo de coisa que eu recomendo para todo mundo.

“Ela era tudo em que eu pensava e com quem eu sonhava. Ela estava em cada pedaço do meu ser.”

O livro carrega uma dose de drama que se intensifica bastante no final, então se for estiver um pouco fragilizada provavelmente vai acabar em prantos. Eu não chorei com o final, eu gostei dele, mas achei ele mais surpreendente do que comovente, a história tomou um rumo que, sinceramente, eu não esperava que terminasse daquela maneira e incrivelmente eu adorei o final.

Talvez seja um “defeito de leitora” que tenho, mas histórias que envolvem duas histórias, eu sempre acabo me apaixonando pela história que deveria ser a secundária >< , e esse livro não foi uma exceção. Fiquei totalmente encantada com a história da Esther com o Elliot, enquanto a Emily não conseguiu me fazer querer saber mais sobre ela.

“Pensei muito sobre a possibilidade de escrever para você, e minha conclusão é esta: a vida é muito curta para se preocupar com as consequências quando se ama alguém como eu a amo. Por isso, escrevo-lhe essa carta como um soldado faria, sem medo, sem dúvida e sem saber se ela pode ser a minha última”

A diagramação do livro é muito bonita, clicando aqui vocês podem baixar um trecho do livro para conferir o que estou falando. A capa é bonita, mas ela não tem ligação com a história, o diário que ta na capa é verde e o da história é vermelho, bola fora da Novo Conceito, a capa original do livro é bem mais bonita, vocês podem conferir ela aqui. Pelas notas de erro que fiz o livro não apresenta muitos erros.

Recomendo a leitura, a forma como a Sarah escreve é muito envolvente e gostosa, a história também é muito gostosa de se acompanhar. Espero que se apaixonem pela história da Esther e do Elliot como eu me apaixonei.

P.S: Sempre que lia o nome da Emily associava ela a Emily Giffin e o fato de ambas serem loiras me fez pensar na Giffin quase o livro inteiro…rsrs ~fãs sofrem~ .

Pessoal é isso, alguém já leu? Pretende ler?

Beijão e até breve!

thalita_oliveira

Jaira Costa

Jaira Costa

Apaixonada por livros, ama música, chocólatra, viciada em séries. Calada, hiperativa, sincera, cheia de idéias na cabeça e com pouco tempo pra colocar elas no papel. Publicitária, futura escritora (escrevendo pra chegar ser uma de verdade). O resto você descobre aqui no blog.

Post anterior

TAG #1 - Hábitos de Leitura

Próximo post

Na Minha Caixa de Correio #41

8 Comments

  1. setembro 1, 2013 at 12:44 am — Responder

    Linda a capa original, UAU!!
    Ainda não tinha visto.

    Tenho esse livro e o lerei em breve, =D

  2. setembro 7, 2013 at 6:17 am — Responder

    Esse é um dos meus livos favoritos <3 Te indiquei para uma tag lá no meu blog..beijos http://modosliterarios.blogspot.com.br/2013/09/tag-10-books.html

  3. setembro 7, 2013 at 5:40 pm — Responder

    Oi Thalita, esse é um dos livros que mais me chamou atenção. O livro é muito original né? Propõem uma situação bem atípica nos livros do gênero.
    É apaixonante, tanto nos personagens, como o cenário onde se passa a trama *-*
    adorei.

    beijos,

    Amy – Macchiato

  4. setembro 7, 2013 at 10:07 pm — Responder

    Não é um livro pelo qual eu fiquei louca pra ler.
    Adoro romances, e tenho um fraco por aquelas que envolvem um diário e/ou histórias de amor antigas. Lembrou-me o filme “Cartas para Julieta” e eu sou simplesmente apaixonada por esse filme.
    Eu também achei a capa original mais bonita. E a diagramação do livro ficou perfeita. As flores no rodapé ficou realmente genial *——-*
    Só acho que você deveria ter colocado o primeiro capítulo u.u Nem dá pra ler sem ficar perdida. Mas tudo bem, dá pra conhecer um pouco da escrita da Sarah e ver se vale a pena comprar.

  5. setembro 8, 2013 at 11:00 am — Responder

    A história parece ser comovente. É muito bom saber que a história é envolvente.

    Quero muito saber desse casal Esther e Elliot! Tenho esse livro aqui e acho que passarei na frente dos outros!

    Beijinhos

    As Leituras da Mila

  6. setembro 26, 2013 at 3:43 pm — Responder

    Realmente a capa original ficou mais bonita, agora se o livro fosse igual ao livro da capa, com esses defeitos e tudo mais, ia ser tão linda!
    Eu tenho ele aqui em casa mais ainda não li, mas pretendo em breve!

  7. setembro 26, 2013 at 5:01 pm — Responder

    Eu adoro livros que carregam um boa dose de drama. São umas das minhas leituras favoritas.
    Eu quero ler esse livro a muito tempo, mas ainda não o fiz porque tenho alguns livros na frente dele na minha listinha de desejados. Mas eu chego nele!

  8. maio 14, 2016 at 7:31 pm — Responder

    citei sua resenha no meu blog =)

em resposta a:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *