Globo AltLiteraturaResenhas

Resenha: O Amor nos Tempos do Ouro – Marina Carvalho

O amor nos tempos do ouro

 

Olá pessoal,

 

Antes de qualquer outra coisa, quero agradecer imensamente a Globo Alt pelo envio do livro e do marcador, que diga-se de passagem, é INCRÍVEL.

Autografei meu livro com a Marina no dia do lançamento em São Paulo. Tive a oportunidade de conversar um pouco com ela sobre como tinha sido escrever esse livro, e confesso que fiquei ainda mais encantada pela história.

A edição toda está maravilhosa, a capa, nos traz exatamente o clima do livro, a diagramação está sem linda, nenhum erro de revisão. A editora está de parabéns pelo carinho e atenção dado ao livro.

O Amor nos Tempos do Ouro

Titulo: O Amor nos Tempos do Ouro

Autora: Marina Carvalho

Editora: Globo Alt

Nº de Páginas: 336

Ano de Lançamento: 2016

Sinopse: “Sabes que nunca me apaixonei, maman, mas se porventura o tivesse feito, seria por alguém como ele?”
Cécile Lavigne perdeu todos os que amava e agora está sozinha no mundo. Ela, uma franco-portuguesa que ainda não completou vinte anos, está sendo trazida ao Brasil pelo único parente que lhe restou, o ambicioso tio Euzébio, para casar-se com o mais poderoso dono de terras de Minas Gerais, homem por quem Cécile sente profundo desprezo. Após desembarcar no Rio de Janeiro, Cécile ainda precisará fazer mais uma difícil viagem. O trajeto até Minas Gerais lhe reserva provações e surpresas que ela jamais imaginaria. O explorador Fernão, contratado por seu futuro marido para guiá-la na jornada, despertará nela sentimentos contraditórios de repulsa e de desejo. Antes de enfim consolidar o temido casamento, Cécile descobrirá todos os encantos e perigos que existem nessa nova terra, assim como os que habitam o coração de todos nós. Com o passar dos dias, crescerá dentro dela a coragem para confrontar todas as imposições da sociedade e também o seu próprio destino.

RESENHA SEM SPOILERS 

O Amor nos tempos do Ouro se passa no Brasil do século XVIII, e vamos conhecer a história de Cécile. A garota acaba de perder a família e é obrigada a sair da Europa e vir para o Brasil para se casar com Euclides, um velho escravocrata, dono de muitas terras nas Minas Gerais.

Ela desembarca no Rio de Janeiro com desesperança da vida, tanto pela perda da família quanto pelo casamento arranjado com um homem que não ama. Para levá-la do Rio de Janeiro até Minas Gerais e ao seu futuro marido, o tio da moça contrata Fernão, um jovem belo e selvagem, conhecido na colônia por seus serviços. O que Cécile e Fernão não esperavam era se apaixonarem. E é claro que Euclides não vai gostar nada disso.

A Cécile se tornou uma das personagens femininas que eu mais gosto. Considerando a época do livro, ela se mostra uma garota muito forte, que sabe o que quer, determinada e que não irá deixar homem algum calar a sua personalidade.

Ver a história do nosso país retratada em um romance me fez sentir diversas coisas bem controversas. Ao mesmo tempo em que via o passado do país de uma forma tão orgulhosa e bela, tendo até mesmo vontade de voltar a estudar História, também me senti muito envergonhada da sociedade da época e gostaria de voltar no tempo e fazer com que a escravidão jamais tivesse existido.

Foi extremamente incômodo e desconfortável ler e sentir a forma com que eles foram tratados. A Marina conseguiu deixar tangível o sentimento amargo que a Cécile sentia ao ver tanta coisa com a qual ela não concordava.  Chorei diversas vezes durante a leitura, desejando que tudo tivesse sido diferente. Tanto Hansan, Akin e Malikah ficarão eternamente guardados no meu coração.

Agora, Fernão. Precisamos conversar sobre Fernão. É impossível não se encantar por ele. Além de lindo de morrer, é um homem de princípios, carinhoso e vê e aceita a força que é Cécile. E os apelidos? Óh céus, os apelidos. Ele a trata de forma tão cuidadosa e atenciosa. Ele a respeita, acima de tudo.

Marina está de parabéns pelo livro fantástico que escreveu, os personagens tão bem definidos com seu papel na história, a forma com que tudo se desenrola, os cenários esplêndidos. Foi maravilhoso. Ele entrou para os meus favoritos.

Se pudesse, adoraria poder ler mais sobre Fernão e Cécile, além de Hansan, Malikah, Akin e Henrique, saber o que o futuro reserva para cada um deles que tem um lugar especial no meu coração.

 

 

 

Espero que vocês tenham gostado e até a próxima!

 

Carol Ordonha

Carol Ordonha

Post anterior

Resenha: A Fúria e a Aurora - Renée Ahdieh

Próximo post

Top Comentarista de Julho

Sem Comentários

em resposta a:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *